Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Entrevistas

Sofia Castro Fernandes

home-slider-top

Jurista, formadora, life changer, life coach, casada, mãe e “boadrasta”, amante de chá, de abraços, de flores e do amor.

O que a levou a escrever o livro Descomplica?
Há uma intenção clara de aprofundar a forma como as pessoas podem encarar os desafios do dia a dia. Para isso, escolhi um conjunto de verbos de ação, porque é na ação que mudamos. É um livro que trata essencialmente de mudança. Mudança de ritmos, de mentalidade, de paradigmas que tantas vezes nos bloqueiam e impedem de seguirmos os nossos sonhos e os objetivos que gostávamos de alcançar. É um livro que incide muito na inteligência emocional.

Como é que descomplicamos?
Não sei…[risos] Não tenho uma resposta standard, depende de pessoa para pessoa. A resiliência, o foco e a fé têm sido para mim uma ajuda fundamental na construção do meu caminho Descomplicado. Mas de nada me teriam valido sem o esforço, o empenho, o conhecimento e tudo o que me desafiei a aprender para saber, hoje, definir objetivos, traçar novas rotas, arriscar novas formas de ver a vida e fintar o medo com coragem.

Um lema para a vida?
“Coisas boas acontecem” é o meu mantra constante. Aceitar que uma vida feliz não é uma vida fácil, também.

Quais os seus pratos preferidos?
Os meus pratos preferidos variam consoante a minha disposição e humor. Gosto muito de coisas simples, como peixe grelhado, saladas de quinoa, bulgur, gosto de tudo o que leva batata-doce, mas também aprecio um bom cozido ou marisco no verão.

Que cuidados tem com a sua alimentação?
Muito menos do que gostaria de ter. Ainda assim, tenho vindo a introduzir uma alimentação mais consciente, mas nada fundamentalista, apostando em reduzir algumas coisas que são inimigas da saúde, nomeadamente ao nível do sal, gorduras e açúcar refinado.

Uma paixão para a vida?
Vivo apaixonada pelas pequenas coisas da vida e isso faz de mim uma pessoa feliz. Mas a maior paixão é ser mãe.

Restaurantes a não perder?
Azenha do Mar, pelo marisco sempre fresco, e Os Courenses, pela comida caseira e pela simpatia que é uma imagem de marca.

Segredo para o equilibrio?
Meditar 15 minutos por dia, praticar o silêncio sempre que posso (a minha profissão obriga-me a falar muito),abraçar o meu filho.

Um destino que definitivamente a marcou?
Cá dentro, a Madeira. Marca-me sempre. É um amor sem fim. Lá fora, as ilhas gregas. Uma das viagens mais bonitas da minha vida.

Uma viagem de família?
A Costa Vicentina, todos os anos e pelos mesmos motivos: o ar que se respira a sul, o azul mais azul, o peixe, as gentes, viver mais devagar. Um dia vou voltar a viver mais a sul.

Livros e autores da sua preferência?
Todos os livros do João Tordo, do Afonso Cruz e, mais recentemente, os livros da Ana Margarida Carvalho. Fizeram a diferença na minha vida profissional O Ponto Morto, do Seth Godin, e The Power of Emotional Agility, da Susan David. Descomplicar, agradecer, valorizar o hoje, não deixar nada por dizer, nada por fazer.

Dicas para ser feliz?
Descomplicar, agradecer, valorizar o hoje, não deixar nada por dizer, nada por fazer.

Projectos a médio e longo prazo?
Escrever o meu terceiro livro (está a meio já), agregar valor à minha Escola de Formação (em Lisboa e no Porto), lançar a minha Escola de Formação Online, voltar a trabalhar no Brasil, ter mais um filho.

Mais entrevistas