Parque Rural Tambor | Chef Continente
Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Destinos

Parque Rural Tambor

home-slider-top

Uma experiência imperdível para miúdos e Graúdos.

O dia acordou soalheiro e foi com entusiasmo que nos fizemos à estrada em direção a Aveiras de Cima, a 30 quilómetros de Lisboa (e a cerca de 260 do Porto). Logo à saída da A1 começámos a ver as placas verdes do Parque Rural Tambor e a curiosidade, que já era muita, avolumou-se. Com que surpresas nos iríamos deparar?

À chegada, lá estavam os anfitriões à nossa espera. A Sílvia e o Sandro receberam-nos de braços abertos, como é apanágio do Tambor, basta ver o que dizem os clientes nas redes sociais. Aqui, os apelidos pouco importam porque, acima de tudo, estamos no campo, onde tudo é mais simples, delicioso e descomplicado. O carro fica no estacionamento, porque no interior só circulam veículos agrícolas, e entramos pela receção/loja rural, onde se destacam os brinquedos à antiga: piões, mobilos e brinquedos de madeira que evocam as brincadeiras de outros tempos. Uma rápida ida à casa de banho para nos refrescarmos e logo aí o pormenor do passarinho na gaiola a cantar a cada toque do interruptor nos faz pensar que os detalhes são tidos em conta neste parque.

A bordo do trator
Subimos ao reboque do trator, construído no Tambor, e começamos a nossa viagem de exploração.
Primeira paragem: um telheiro que deu origem ao nome Tambor, pois era neste local que, durante a Revolução Francesa, se rufavam os tambores para reunir as tropas e era aqui que se decidia se se avançava ou não para as Linhas de Torres.
Há de facto uma acústica especial no Tambor, ouvindo-se perfeitamente os sons dos muitos animais que aqui vivem. Neste telheiro estão duas charretes em exposição. Em frente, avistamos o lago com o seu farol e uma cultura de milho e é-nos dito que embora seja frequente noutros países, em Portugal todos foram encerrando e este é dos últimos resistentes. É onde se faz o milharinto, um labirinto gigante.

Bicharada e caravanas
Chegamos de seguida ao estábulo, casa das doces cabrinhas anãs francesas, Madonna e Elvis, e dos porquinhos do Vietname, Bacon e Morcela. Por detrás, a horta, e ao lado um relvado com uma casinha de brincar antecede as Gipsy Caravans, duas caravanas ciganas, fies réplicas das originais ainda hoje utilizadas pelos ciganos nómadas em países como a Roménia. A Maria Papoila é vermelha e a Maria Violeta é lilás, ambas com capacidade para um casal e duas crianças. Possuem casa de banho privativa com chuveiro tipo cabine de barco e um relvado, sendo que neste encontramos um toldo que é de utilização comum com coloridas mantas e almofadas e uma braseira onde se fazem à noite marshmellows com os anfitriões e os vizinhos da caravana do lado, enquanto se veem as estrelas e contam histórias ao som embalador de rãs e cigarras. Passamos pelo prado onde estão as ovelhas Amélia e Amália, o cavalo Zaire e o pónei Chico Bento. Ao lado temos a zonas de compostagem, a exposição de alfaias agrícolas, onde nos é explicada a função rural de cada uma delas, a estufa hidropónica e os galinheiros, onde residem codornizes, galinhas pintadas de Angola, coquichas frisadas anãs, perus, galinhas, galos de todas as cores e galinhas gigantes de Bramaputra. Depois, entramos no celeiro vermelho e branco, à americana, onde nos é mostrado o descarolamento do milho, os métodos antigos e modernos utilizados para o processamento do mesmo, de forma a alimentar a grande maioria dos bichos que aqui vivem. Passamos a seguir pelo museu rural, com uma exposição de objetos onde vemos a evolução dos utensílios ao longo dos anos.

Espaço para os jogos
Por fim, entramos no relvado principal onde estão implementados os jogos que fazem as delícias dos visitantes, sejam eles miúdos ou graúdos.
Slide, gincana rural, futegolfe, driving range, croquet, minigolfe, futebol rural, ordenha da vaca em tamanho natural, badminton, vólei, supertrampolim e mais uma série de jogos originais imaginados e construídos no Tambor são um verdadeiro convite à diversão.
Feito o balanço, passar o dia neste parque temático rural é uma experiência imperdível, que se nos cola aos sentidos e à memória, no recanto onde só ficam as boas recordações que se irão evocar com prazer ao longo da vida. É o local ideal para trazer a família e os amigos, uma e outra vez, para brincar e jogar, fazer um churrasco nos grelhadores disponíveis para o efeito e um piquenique numa das muitas mesas espalhadas pelas sombras do parque virado para a Serra de Montejunto. É tão bom estar no campo!

Informações
Parque Rural Tambor
Rua do Tambor, Casais das Amarelas,
2050-190 Aveiras de Cima
Tel.: 912 939 242, 912 500 992
Preçário
Acesso ao parque temático: adultos €8, crianças dos dois aos 12 anos €4. Pack Família (2 adultos e 2 crianças): €22.
Inclui passeio de trator, acesso a todos os jogos e atividades, zona de grelhadores e piquenique.
Estacionamento gratuito.
Caravanas: €60/casal com pequeno-almoço incluído levado à caravana pela manhã.
Crianças: €10
Horários
Até 15 de junho: sábados, domingos e feriados das 10h00 às 19h00 para o público em geral e todos os dias para eventos marcados ou caravanas.
De 16 de junho a 30 de setembro: aberto todos os dias das 10h00 às 19h00.

Mais destinos