O Meu Monte | Chef Continente
Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Destinos

O Meu Monte

home-slider-top

O paraíso existe e está em Aguiar, no Alentejo.

Adquirido há duas décadas, foi, durante muitos anos, o destino de férias da família Meireles, que ali permanecia dois meses por ano, no verão, num espaço com cerca de 2,5 héctares com uma casa com as cores e a traça típicas do Alentejo, a que se somou uma agradável e refrescante piscina. Chamava-se nesse tempo Horta do Antão, nome que ainda consta numa placa no muro à entrada do agora designado O Meu Monte.
Luísa Meireles, que adora conhecer pessoas, conversar e viajar e cujo espírito empreendedor não tem limites (basta uma breve troca de palavras com ela para o descobrir), sempre teve como sonho aproveitar melhor a sua propriedade, que estava "fechada" durante dez meses por ano.
Com os cinco filhos já crescidos, em 2012 meteu mãos à obra e deu início aos trâmites que imprimiriam uma nova vida à sua casa de férias e uma vida nova ao seu quotidiano profissional, que da área do cinema e teatro em Lisboa iria passar para a do turismo na planície alentejana de Aguiar, a cerca de 20 quilómetros de Évora.
Em 2015 abria as portas de O Meu Monte, agora transformado numa unidade de turismo rural. E fê-lo sem que nada tivesse sido deixado ao acaso: com a ajuda de Carolina, a filha mais velha e seu braço direito neste projeto, a sua casa de campo ressurgiu como a casa de campo de todos gostaríamos que fosse nossa - confortável, acolhedora, sedutoramente bonita. com pormenores de decoração que mais pareciam ter saído das mãos de profissionais. E mais: com cuidados que só tem quem gosta realmente de receber e se preocupa deveras com o bem-estar dos hóspedes, como a escolha dos colchões e da roupa das camas, que foram alvo de minucioso escrutínio para que a oferta fosse a melhor.
Nos sites da especialidade, as primeiras críticas de quem por lá passou colocaram o Monte logo no topo da escala. E por lá continua hoje com comentários feitos por hóspedes de todo o mundo, que referem, entre outros, a tranquilidade do locar, a beleza do espaço e a genuína simpatia dos anfitriões.
Este monte autosustentável possui seis quartos duplos, com possibilidade de uma cama extra em cinco deles. Além disso, disponibiliza  uma cozinha equipada, uma sala de estar/refeições e por uma piscina. Pode ser alugado por unidade (com pequeno-almoço incluído) ou na totalidade, como usufruto de todas as áreas, mas sem pequeno-almoço.
Se o paraíso existe? Existe sim, em pleno Alentejo, n´O Meu Monte. Vá até lá e comprove.
Estando em Aguiar, não perca a oportunidade de ir até Évora, para descobrir ou redescobrir as belezas desta cidade que é Património Mundial da UNESCO. Aproveita ainda para se deliciar com a irresistível gastronomia local.

ONDE COMER
Degustar. Localizado no piso térreo do edifício do Palácio dos Sepúlveda, o restaurante Degust´AR, com os seus tetos em abóbada, arcos de ferradura e alguns frescos pontuais, tem um ambiente requintado e intimista. No espaço existe ainda uma zona de receção com serviço de bar e uma garrafeira com referências de todas as regiões de Portugal. A carta está a cargo do chef António Nobre e tem como ponto de partida a cozinha de raiz alentejana, que ele tanto aprecia e desenvolve de forma criativa pelos sabores mediterrânicos. Lasanha de bacalhau com legumes, queijo de Nisa e salada verde e açorda de perdiz com grão à moda de Mértola são dois pratos a experimentar.

Tasquinha do Oliveira. O único seão deste restaurante é o espaço, que comporta apenas meia dúzia de mesas. Já a cozinha, pela qualidade variedade e sabor, é inversamente proporcional à dimensão da sala e mostra-se grandiosa e muito apetecível, uma verdadeira homenagem à arte de bem comer. Há quem diga, até, que este é um dos melhores restaurantes de Portugal. A confeção é honesta e caseira e tem nos petiscos a sua especialidade, como a orelha de porco, as favas com chouriço e as pataniscas de bacalhau. Com mais substância, pode optar pelo cação de coentrada, o cozido de grão ou a lebre com feijão e nabo.

Fialho. Fundado em 1945, é um verdadeiro embaixador da gastronomia alentejana e um restaurante de referência a nível nacional, premiadíssimo. Neste espaço trabalha-se com respeito a matéria-prima valorizando os sabores autênticos da região. As entradas são aqui famosas e quase infindáveis, como os ovos de codorniz com paio, as empadinhas de galinha ou lebre e os espargos bravos com ovos. Nos pratos principais, há emblemáticos, como as bochechas de porco preto em vinho tinto ou a perdiz à Convento da Cartuxa.  E as sobremesas são irresistíveis: experimente a encharcada de Mourão ou o torrão Real de Évora.

INFORMAÇÕES

O Meu Monte
Horta Antão, Aguiar; Tel.: 918 587 993
Degust’AR
R. Cândido dos Reis, 72, Évora; Te.l.: 266 740 700
Tasquinha do Oliveira
R. Cândido dos Reis, 45-A, Évora; Tel.: 266 744 841
Fialho
Travessa Mascarenhas, 14, Évora ; Tel.: 266 703 079
 

Mais destinos