Morangos | Chef Continente
Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Alimento Autêntico

Morangos

home-slider-top

Na primavera apetece morangos... ...O fruto da paixão

Muito aromático, doce e refrescante, 
o morango é um fruto de baixo valor calórico 
e, por isso, ideal para regimes dietéticos.


Os morangos são bagas vermelhas, em forma de coração, com minúsculas sementes no exterior, de sabor levemente ácido e aroma agradável. Entre a enorme diversidade de frutos que a natureza nos oferece, destaca-se por ser um dos mais apreciados.

Os dias mais amenos já chegaram. Está aí a primavera, estação do ano em que nos apetece refeições mais leves, água e muita fruta. A variedade é muita, mas os morangos são um dos frutos mais tentadores. Podemos encontrá-los no mercado ao longo de todo o ano e o pico de produção ocorre durante o mês de abril, embora determinados produtores estejam a apostar numa produção a partir de maio até final do verão. Para uma melhor qualidade, é importante que a colheita seja manual e diária. Isso permite que os morangos que chegam à sua mesa estejam sempre no ponto ótimo de maturação, preservando todas as suas caraterísticas.
Este refrescante, doce e aromático fruto tem a particularidade de possuir um conteúdo moderado de hidratos de carbono (açúcares) e valor calórico reduzido (29 kcal por 100 g de alimento). Quando comparado com os restantes frutos apresenta um teor elevado de antioxidantes, de que são exemplo a vitamina A, a vitamina C e fitonutrientes, nomeadamente os flavonoides. Possui ainda vitaminas do complexo B, com destaque para a niacina e o ácido fólico. É também rico em minerais, como o cálcio, o potássio, o magnésio e o ferro, sendo o seu teor em fibra moderado.

Os morangos são alimentos muito perecíveis, o que significa que se degradam facilmente. Desta forma, devem ser comprados poucos dias antes de serem consumidos. Aquando da compra, devem estar firmes, vermelhos por inteiro (o que significa que os pesticidas já perderam parte do efeito) e sem partes amolecidas. Como os morangos não amadurecem depois de colhidos, evite os que apresentam partes verdes ou incolores. Escolha os de tamanho médio, que são, normalmente, mais saborosos do que aqueles de tamanho muito grande.
A conservação dos morangos deverá ser feita no frigorífico logo após a sua compra por um período máximo de três dias, sem serem lavados, pois a água pode favorecer o seu apodrecimento. No entanto, antes de os refrigerar, certifique-se de que todos se encontram em condições e proceda à exclusão de algum que possa estar danificado ou com bolor. Por se tratar de frutos rasteiros, antes do seu consumo convém lavá-los em água corrente e, se possível,deixá-los de molho em água acidificada (limão ou vinagre) durante 15 minutos, de forma a eliminar eventuais impurezas.
Os morangos podem ser servidos de mil e uma
maneiras... são deliciosos para consumir ao natural (a própria fruta ou sob a forma de sumo), ou integrados noutros alimentos, nomeadamente apresentados em sobremesas, bolos, batidos, gelados, doces, compotas, geleias, etc. No entanto, é essencialmente na fruta in natura que se pode ter grande proveito das suas propriedades e benefícios.
É importante estar alerta, pois os morangos são
um alimento bastante alergénico. O consumo de morangos por pessoas sensíveis pode desencadear uma erupção cutânea, conhecida por urticária, inchaço da boca e garganta e dores de cabeça. No entanto, tem-se sugerido que é mais provável haver reação alérgica quando o fruto não amadureceu na planta. Por este motivo, os médicos pediatras sugerem a sua introdução na alimentação das crianças só depois dos 12 meses e idealmente após os 14 meses de idade. Deve ainda evitar o consumo de morangos quem padece de problemas intestinais, como diverticulose, na medida em que as pequenas sementes presentes neste fruto podem alojarse no divertículo e provocar inflamações.
Progressivamente vaí havendo, por parte dos
consumidores uma maior adesão à produção de morango em agricultura biológica. Este é o método de produção natural dos alimentos, respeitando a saúde do ecossistema agrícola, fomentando a biodiversidade, os ciclos biológicos e a atividade biológica do solo, reduzindo drasticamente o impacto humano sobre o ambiente.
Através de processos biológicos e mecânicos, e sem recorrer ao uso de materiais sintéticos, é possível obter produtos mais autênticos, ricos em aroma e sabor, que duram mais tempo e que são benéficos para o planeta e para o consumidor. A principal desvantagem dos alimentos orgânicos reside no seu elevado custo. Na hora da compra, certifique-se de que o produto possui um selo de certificação que garante a origem e os cuidados no cultivo.

Mais alimentos