Real Companhia Velha | Chef Continente
Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Real Companhia Velha

home-slider-top

Real Companhia Velha

A Quinta das Carvalhas, Quinta-mãe da Real Companhia Velha, é uma das propriedades com mais visibilidade da Região Duriense e bem característica de uma “viticultura de montanha”. Toda a sua área está inserida na “Mancha do Alto Douro Vinhateiro – Património da Humanidade”.

A vinha, na sua totalidade, ocupa encostas em condições tão diversas de altitude e exposição, que conjugadas com a multiplicidade de castas e de idades das parcelas, conferem a esta Quinta enorme potencial de qualidade e originalidade vitivinícolas.
A Quinta das Carvalhas, possui cerca de 40 hectares de vinha cuja idade se situa entre os 50 e os 90 anos. Os vinhos a que dão origem são de uma notoriedade e originalidade ímpares – a sua preservação é por isso baseada nos seguintes pressupostos:
- Complexa mistura de castas que conferem produções de elevado potencial enológico;
- Castas já hoje raras na Região;
- Elevada densidade de plantação, poucas falhas e bons acessos;
- Produtividade satisfatória e compatível com o nível qualitativo dos vinhos.
- Vinhas que conferem diferença quer pela sua arquitetura paisagística quer pela sua original e diferencial produção.
O conceito que a Real Companhia Velha desenvolve e põe em prática na Quinta das Carvalhas – Quinta de Imagem -, visa conciliar a preservação da paisagem com o desenvolvimento duma atividade económica sustentável. O culto pelo paisagismo, num Douro arrumado, cuidado e florido, aporta a esta Quinta um cariz bastante apelativo.
Na realidade, a beleza e esmero cultural das vinhas da Quinta das Carvalhas, bem como os arruamentos ajardinados e os espaços circundantes (olivais e matas) bem cuidados, seguramente que oferecem experiências inesquecíveis aos seus visitantes, contribuindo assim para a valorização das marcas de vinhos e para o prestígio da Companhia, assim como para a valorização de toda a Região do Douro.


Jorge Moreira - Enólogo

Licenciado em Enologia pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, é desde Abril de 2010, Diretor Técnico da Real Companhia Velha, onde iniciou a sua carreira profissional, como enólogo, em 1996.
Foi também enólogo na Quinta de la Rosa e Sócio Gerente da Jorge Nobre Moreira – Produção e comercialização de vinhos, Lda.
No seu currículo destacam-se alguns cursos de provas de vinho, produção integrada da vinha, proteção integrada na vinha, assim como vários encontros de enologia e seminários de viticultura e enologia.


 
Álvaro Martinho - Representante

É Licenciado em Engenharia Agrónoma pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, curso ao qual acumulou os de Agricultura Biológica e o de Produção Integrada, ambos pela ADVID.
É desde 1997 gestor e responsável Técnico da Quinta das Carvalhas (Real Companhia Velha) e foi, desde 2008 até 2011, gestor e responsável técnico da Quinta de Ventozelo (Real Companhia Velha).
É, desde 2002, Proprietário e Gerente da Álvaro Martinho Dias Lopes.


Fotografias da Real Companhia Velha