--- | Chef Continente
Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Blog

Receita: Frutas bêbadas

| Gourmets Amadores

31-08-2017 18:08

De vinho, açúcar e especiarias se fazem as famosas peras de cor sublime e xarope sedoso que tornam a sobremesa o melhor momento do dia também para os crescidos. Chamam-lhes bêbadas certamente por inveja e despeito pois nada na sua postura indica menos que equilíbrio e contenção. Devem ser cozinhadas até se deixarem comer à colher numa mistura de vinho tinto e vinho do Porto, alguma doçura e um pouco de tempero que vem quase sempre de um ou dois paus de canela e do ocasional cravinho. Como fazer? Descascam-se as peras inteiras ficando o pé, arrumam-se num tacho sem deixar espaço entre si e regam-se com a mistura de vinho. Vão a cozer em lume moderado até a ponta da faca entrar sem dificuldade. Comem-se no dia seguinte, se o tempo e a gula permitirem, depois de ficarem a tomar gosto e cor no frio.

A receita de peras bêbadas que faz parte do nosso imaginário coletivo tem, como tantas outras, a sua origem mais remota na cozinha francesa. Com um amor infinito pelo vinho, é quase natural que os cozinheiros gauleses o tenham introduzido nos doces e na pastelaria, fazendo bom uso dele em molhos doces, xaropes repletos de cor e cremes vistosos. Como nas confeções salgadas, é preciso deixar evaporar o álcool e aproveitar os aromas de cada vinho, dos tintos mais encorpados aos brancos delicados, passando pelos generosos de diferentes proveniências e sabores. Já a escolha da fruta deve ser feita a pensar na sua estrutura, privilegiando a textura de peras e maçãs ou pêssegos e ameixas, e ajustando o tempo de cozedura para que não se perca a forma.

De técnica fácil e à prova de erro, cozinhar fruta em vinho faz de qualquer peça menos doce ou mais feia a melhor das sobremesas. Troquemos as peras por ameixas e aquele vinho tinto esquecido ganha nova vida. Tem peras mas só há vinho branco? Nada como experimentar fazer a receita com ele e uma vagem de baunilha, aberta ao meio. Comprou pêssegos que não têm sabor? Cozinhe-os brevemente, com um raminho de tomilho, no que restou da garrafa de Porto branco dos cocktails de verão. Em rigor, basta ter fruta que precise de uma "ajuda" para agradar e um vinho à mão. Com um pouco de açúcar ou mel e alguma paciência, não faltarão sorrisos à mesa. Sirva com uma bola de gelado de nata ou baunilha e seja generoso com o molho!

,