--- | Chef Continente
Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:
Dieta:

Blog

Comprar um vinho que não se conhece

| Comer, Beber e Lazer

21-02-2018 20:02

No domingo passado comprei um vinho que desconhecia por completo. No hipermercado reparei nele na prateleira dos vinhos dedicados às regiões da Bairrada, Dão e Beira Interior. É uma secção para três regiões que por vezes passa despercebida, mas são regiões que costumam produzir vinhos de elevada qualidade. Por isso, nunca passo sem deitar o olho para ver o que por lá anda. O rótulo chamou-me a atenção. Foi o suficiente para pegar na garrafa e com mais atenção ler o contra-rótulo, reparar no preço e até fazer algumas comparações com o que havia ao lado. Como o preço não me pareceu proibitivo para um vinho que não conhecia coloquei-a no carrinho de compras e lá seguiu o caminho até casa.

Quantas vezes se vê a fazer o mesmo? A comprar um vinho que desconhece por completo? Costumo ouvir dizer que é muito chato comer bife com batatas fritas todos os dias, mesmo que seja o melhor bife com batatas fritas do mundo. Queremos experimentar novos sabores, novas texturas, sentir coisas novas e por vezes, quem sabe, escolher um novo tipo de comida como preferida. Com o vinho acontece exatamente o mesmo. O vinho não é todo igual. Mil e uma regiões diferentes, castas brancas e tintas, que apenas existem uma determinada região ou que estão presentes em várias com resultados diferentes, formas distintas de fazer o vinho, diversas formas de o estagiar e terroirs únicos. Comprar um vinho que não se conhece não só nos alimenta em termos de conhecimento, mas também o prazer de sermos surpreendidos, de experimentarmos aromas diferentes, texturas desiguais, ligações perfeitas à mesa e um estimulo à conversa e discussão com os amigos acerca da novidade que se bebeu.

Costuma só comprar Douro e Alentejo? Experimente Dão, Trás-Os-Montes, Beira Interior, Bairrada, Algarve, Tejo, Távora-Varosa, Lisboa e Setúbal. Para si só se bebe vinho tinto? E o branco, o rosé, o Porto, o Madeira, o Moscatel, o Abafado, os Espumosos ou o Colheita tardia? Por último, mas talvez o caso mais reconhecido. Só bebe de um determinado produtor ou uma determinada marca? Arrisque. Escolha o que está ao lado. Seja pelo nome diferente, pelo rótulo ou por uma opinião. Arrisque.

,